Charles Chaplin

Durante este ano nós, da Turma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e da Turma da Mitologia, lemos o livro “O Santinho” de Luiz Fernando Veríssimo, e ao lermos o prefácio escrito por Ana Maria Machado, nos interessamos em conhecer mais sobre Charles Chaplin, já que ela comparava o humor de Chaplin no cinema, com o de Veríssimo nos livros.

Assistimos muitos Filmes, dentre eles: “Tempos Modernos”, “O Bombeiro”, “O Garoto”, “O  Circo”, “O Vagabundo”, “Vida de Cachorro”.

Pesquisamos também sobre a vida de Chaplin e vamos postar aqui um pouquinho para vocês!

       Charles Chaplin 

Sir Charles “Charlie” Spencer Chaplin foi o mais famoso ator dos primeiros momentos do cinema hollywoodiano, e também um ótimo diretor.

No Brasil é também conhecido como Carlitos (equivalente a Charlie), nome de um dos seus personagens mais conhecidos.

Chaplin foi uma das personalidades mais criativas da era do cinema mudo; ele atuou, dirigiu, escreveu, produziu e eventualmente financiou seus próprios filmes.

Chaplin foi também um talentoso jogador de xadrez e chegou a enfrentar o campeão americano Samuel Reshevsky. Nasceu em Walworth, Londres, em 1889, filho de Sr. Charles e Hannah Harriette Hill, que eram animadores do Music Hall.
Seu principal personagem foi O Vagabundo (The Tramp): um andarilho pobretão com as maneiras refinadas e a dignidade de um cavalheiro, vestindo um casaco firme e esgarçado, calças e sapatos desgastados e mais largos que o seu número, um chapéu-coco ou cartola, uma bengala de bambu e sua marca pessoal, um pequeno bigode.
Chaplin começou sua carreira como mímico, fazendo excursões para apresentar sua arte.

Em 1913, durante uma de suas viagens pelo mundo, este grande ator conheceu um cineasta chamado Mack Sennett, em Nova York, que o contratou para estrelar seus filmes.
Em 1918, no auge de seu sucesso, ele abriu sua própria empresa cinematográfica, e a partir daí, fazia seus próprios roteiros e dirigia seus filmes.    Criticava a sociedade, e não se cansava de denunciar os grandes problemas sociais, tais como a miséria e o desemprego. Produziu grandes obras como: O Circo, Rua da Paz e Luzes da Cidade.
Adepto ao cinema mudo, o também cineasta, era contra o surgimento do cinema sonoro, mas como grande artista que era, logo se adaptou e voltou a produzir verdadeiras obras primas: O Grande Ditador, Tempos Modernos e Luzes da Ribalta.
Na década de 1930 seus filmes foram proibidos na Alemanha nazista, pois foram considerados subversivos e contrários a moral e aos bons costumes. Porém, na verdade, representavam uma crítica ao sistema capitalista, à repressão, à ditadura e ao sistema autoritário da Alemanha no período.
Em 1965, publicou sua autobiografia, Minha Vida. Em 1977, na noite de Natal, o mundo perdeu um dos grandes representantes da história do cinema.

 

Categoria: Sem categoria

Uma resposta para Charles Chaplin

  1. Milene Galhardo diz:

    Parabéns pelo trabalho de vocês. Amo Chaplin e é sempre bom ver pessoas se interessando por ele tão cedo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *